Empresa‎ > ‎ARTIGOS‎ > ‎

Qual o caminho para o sucesso?

Revista Banas Qualidade - 13/9/2010 - Edição de Aniversário: 20 anos

[Allan Egon Kern e Arlete Patrícia Fuente de Lima]

O conceito de inovação é bastante variado, dependendo, principalmente, da sua aplicação. De forma sucinta, é a exploração com sucesso de novas ideias. E sucesso no mundo empresarial significa aumento de faturamento e das margens de lucro e acesso a novos mercados, entre outros benefícios. A inovação não se reduz à criação de produtos, serviços, processos ou tecnologias que rompem com a maneira convencional de fazer as coisas, mas considera também mudanças que podem ter impactos abrangentes e duradouros na organização.

Convém esclarecer que inovação não é melhoria contínua. Geralmente, os processos de inovação são capazes de gerar vantagens competitivas a médio e longo prazo e permitem que as empresas acessem novos mercados, aumentem suas receitas, realizem novas parcerias, adquiram novos conhecimentos e aumentem o valor de suas marcas. Por isso, inovar torna-se essencial para sua sustentabilidade. A melhoria contínua é uma atividade regular para aumentar a capacidade de satisfazer requisitos e, quase sempre, busca a qualidade dos produtos e a satisfação dos clientes e partes interessadas.

De um modo geral, as empresas são o centro da inovação. É por meio delas que as tecnologias, invenções, produtos e ideias chegam ao mercado. A dinâmica dos negócios está ligada à inovação. Investir em inovação é crucial para as empresas manterem competitividade e agregarem valor e qualidade a produtos e serviços. Não há como se tornar uma empresa inovadora sem dar a devida importância ao tema. Diante dessa premente necessidade, é importante gerar uma cultura que incentive o desejo de fazer as coisas de maneira diferente, a capacidade de entender de forma simples questões complexas, a propensão ao risco e à tolerância ao erro bem-intencionado.

Para permanecer competitiva, uma organização precisa gerar continuamente ideias originais e incorporá-las a seus processos, produtos, serviços e relacionamentos. A promoção da cultura de inovação deve considerar mecanismos que incentivem a geração de ideias, tanto de forma espontânea como induzida, com relação a temas de interesse estratégico. A criação de um ambiente propício à inovação e aperfeiçoamento constantes, ao aprendizado organizacional e ao desenvolvimento da capacidade da organização de se antecipar e se adaptar com agilidade às mudanças dependem, certamente, da participação pessoal, ativa e continuada da liderança. A capacidade de interação com o ambiente externo, assim como as redes de relacionamentos formais e informais, são também fatores essenciais para a criatividade.

A aplicação de conceitos, sistemas e técnicas de gestão de qualidade – tais como o ciclos de planejamento, execução, avaliação e melhoria – de forma a criar sinergias com valor agregado é condição essencial para a organização implementar inovações de forma consistente e sustentável. Assim, para agregar valor ao negócio, é fundamental mapear e padronizar as atividades em processos e conhecer as necessidades e expectativas das partes interessadas.

A satisfação das partes interessadas é alcançada pela tradução de suas necessidades e expectativas em requisitos para os produtos e serviços e seu desdobramento para cada processo na cadeia de valor. Isto permite planejar e executar melhor as atividades, pela definição adequada de responsabilidades; uso dos recursos de modo mais eficiente; realização da prevenção e solução de problemas e eliminação de atividades redundantes, a fim de aumentar a produtividade. Quando o domínio dos processos é pleno, há previsibilidade dos resultados, o que serve de base para a implementação de inovação e melhorias.

É importante entender que há uma forte correlação entre a inovação, capacidade empreendedora e o desenvolvimento econômico, produtividade e desempenho organizacional. Assim, torna-se imperativo que as organizações estejam preparadas para renovar seus produtos, serviços e processos, competências e desenhos organizacionais de forma contínua, a fim de garantir sua adaptabilidade e consequente sobrevivência no mercado por meio do desenvolvimento de uma competência–chave: o empreendedorismo corporativo inovador.

Apesar de a inovação indicar um caminho seguro para obter vantagem competitiva sustentável e defender posições estratégicas no mercado, o seu sucesso não é garantido, necessitando que os gestores conheçam e compreendam a dinâmica dos processos da gestão da inovação dentro de suas organizações e realidades específicas.

Bibliografia
ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR ISO 9000:2005
– Sistema de gestão da qualidade – Fundamentos e vocabulário. – Rio de
Janeiro : ABNT, 2005.
FNQ, Fundação Nacional da Qualidade. Inovação contínua é um dos fatores
de sucesso da Fiat. Assumpção , Tatiana. Disponível em: <www.fnq.org.br/
site/ItemID=2668/369/default.aspx> Acesso em: 15 ago 2010.
FNQ, Fundação Nacional da Qualidade. Cadernos de Excelência®:
Introdução ao Modelo de Excelência da Gestão® / Fundação Nacional da
Qualidade. – São Paulo : Fundação Nacional da Qualidade, 2008. – (Série
Cadernos de Excelência).
FNQ, Fundação Nacional da Qualidade. Critérios Compromisso com a
Excelência e Rumo à Excelência / Fundação Nacional da Qualidade. - São
Paulo : Fundação Nacional da Qualidade, 2009.
INEI, Instituto Nacional de Empreendedorismo e Inovação. Gestão da
Inovação nas Organizações. Disponível em: <www.inei.org.br/cursos-eworkshops/
gestao-da-inovacao-nas-organizacoes> Acesso em 15 ago 2010.
Instituto Inovação. A Inovação. Disponível em: <www.institutoinovacao.com.
br/internas/inovacao>. Acesso em: 15 ago 2010.

Allan Egon Kern é gerente da qualidade num hospital público e docente em cursos de pós-graduação e de educação continuada em Gestão da Qualidade em Saúde - allankern@yahoo.com; e Arlete Patrícia Fuente de Lima é supervisora da qualidade num hospital público e docente num curso de pós-graduação em Gestão da Qualidade em Saúde - sampaiofuente@ig.com.br

Comments