Empresa‎ > ‎ARTIGOS‎ > ‎

Os estratégicos ativos intangíveis das empresas

Hayrton Rodrigues do Prado Filho

 

Ativos intangíveis são os imateriais, garantidores da perenidade e da diferenciação competitiva das empresas, responsáveis pela geração e/ou proteção de valor corporativo aos acionistas e demais stakeholders das empresas.  Suas principais características: vínculo com longo prazo, caráter estratégico, interdependência entre si, potencialização dos ativos tangíveis e demanda aguda por gerenciamento e metrificação. Portanto, pode-se concluir que um ativo é todo recurso (físico ou não) que esteja sob o controle de uma organização e que possa ser utilizado para produzir produtos ou serviços aos seus clientes, visando à geração de benefícios econômicos futuros e cujo custo é representado pela capitalização de todos os gastos incorridos para sua aquisição ou desenvolvimento.

Os ativos intangíveis, como ativos de natureza permanente, sem existência física quando controlados pela empresa, são capazes de produzir benefícios futuros. São exemplos de alguns ativos intangíveis: patentes, franquias, marcas, direitos autorais, processos secretos, franquias, licenças, softwares desenvolvidos, bancos de dados, concessões públicas, direitos de exploração e operação.

De acordo com a legislação contábil brasileira, alguns ativos intangíveis já são registrados contabilmente e estão refletidos nas demonstrações contábeis. Um exemplo dessa prática está na contabilização dos gastos incorridos com direitos autorais ou com custos de desenvolvimentos de produtos. Entretanto, esses ativos continuam registrados por seus custos históricos, de forma semelhante aos demais itens que compõem o ativo. Segundo estudo da DOM Strategy Partners, dependendo do segmento da economia em que uma empresa esteja inserida há maior ou menor incidência do valor dos intangíveis em seu valor de mercado, como pode ser visto na tabela abaixo:

 

Representação Percentual da Representatividade do Valor dos Intangíveis no Valor de Mercado Total (Market Cap) das Empresas, por Segmento da Economia (2007)

Petroquímica

25%

 

Eletroeletrônicos

45%

Atacado e Distribuição

26%

 

Farmacêutica

49%

Energia

30%

 

Tecnologia da Informação

53%

Aviação

31%

 

Educação e Treinamento

59%

Papel & Celulose

31%

 

Química

33%

Seguros

32%

 

Internet

68%

Química

33%

 

3o. Setor

71%

Têxtil

34%

 

Moda

77%

Saúde

36%

 

Petroquímica

25%

Automobilística

8%

 

Atacado e Distribuição

26%

Varejo

39%

 

Higiene e Beleza

43%

Telecom

41%

 

Financeira

42%

Consultoria e Serviços Profissionais

61%

 

Bens de Consumo Não Duráveis

47%

 

 

 

Siderurgia, Metalurgia, Mineração

27%

Os ativos intangíveis, mais do que responsáveis pelos resultados do curto prazo (prerrogativa dos tradicionais ativos tangíveis), respondem pela capacidade da empresa em continuar gerando valor no médio-longo prazo, pois possuem valor diferencial intrínseco, mas também a característica de potencializarem os tangíveis (ex. marcas potencializam vendas, inovações melhoram produtos, conhecimento qualifica a produção, etc.). Se o conhecimento e a maneira de realizar pesquisa são ativos intangíveis, esses fatores criarão um efeito positivo na hora de recrutar os melhores engenheiros e criarão uma imagem de empresa inovadora, reforçando sua marca perante os consumidores. Assim, além de possuírem valores intrínsecos claros, os intangíveis também potencializam valor nos ativos tangíveis e mutuamente entre si.

Enfim, em função da grande valorização dos ativos intangíveis, torna-se importante entender como gerenciá-los de forma a criar e manter o valor econômico das empresas. Um pleno conhecimento das características da empresa, no que se refere aos seus ativos intangíveis, pode contribuir sobremaneira para a adoção de estratégias que visem maximizar o seu valor econômico.

Comments